A designer francesa Anissa Mekrabech, de 31 anos, teve uma iniciativa muito importante para pessoas surdas e com deficiência auditiva. Tudo começou quando, após o início da pandemia do coronavírus, em abril, ela foi à farmácia e todos os atendentes usavam máscaras cirúrgicas, o que impossibilitou a leitura labial que é necessária para a sua comunicação, pois Anissa tem surdez moderada.

“Tenho uma surdez bilateral moderada. Existem quatro graus de surdez: leve, moderada, severa e profunda. No meu dia a dia, consigo ouvir graças a meus aparelhos auditivos, mas utilizo bastante a leitura labial”, explicou à RFI Brasil

A partir disso, inspirada em um exemplo norte-americano, ela decidiu criar uma máscara de proteção que tivesse uma área transparente. O próximo passo foi montar um site para fazer a arrecadação de fundos e a criação de um protótipo, que foi bastante compartilhado nas redes sociais.

Máscara transparente desenvolvida pela designer francesa Anissa Mekrabechmasqueinclusif.com/Reprodução

A quantia obtida foi cerca de 18 mil euros e, assim, a designer criou dois modelos de máscara que possuem elásticos para a orelha ou tecidos que amarram atrás da cabeça e foram aprovados após testes feitos com 50 protótipos diferentes. Hoje, a máscara que está à venda é feita de polipropileno e plástico (não, não embaça), é entregue para o mundo todo e custa R$ 69,99.

Continua após a publicidade

Além do produto ser fundamental para pessoas com deficiência auditiva e quem está ao redor delas, também é interessante para professores, cuidadores de creche e outras profissões que lidam com o público e expressões faciais o tempo inteiro.

Que iniciativa incrível, né? <3